O Palheiro da Malta

2006/08/24

Eis uma notícia que causou grande alarido cá na aldêa. O pessoal faltante ainda nã apraceu. Tá tudo munto preocupado. Ainda por cima um dos desaparecidos, o Zéi da Gaita Torta já fez 2 bái péssis porque tinha a canalização da bomba toda entupida. Agora s'o home lhe dá pra tomar aquela merda do tesagra ó lá o que éi, vai-se-lho coração p'rás malvas. Vamos lá a ver s'aquela gente tem juízo. A última parecida com esta tinha sido aqui há uns anos a do Ti Manéli Perna À Roda, mas esse já tinha 110 anos bem medidos.


2006/06/02

VERSOS ALENTEJANOS




Andav ê ali cêfando,
Quando vi o tê olhari,
A fôce ficô más leve,
Senti o pêto a inchári.

A voz presa na goela,
Vendo aquele tê sorriri,
Nem ôvi o aguadêro,
Nem a quarta ele abriri.

Mariana tê nome lindo,
Jaquim mo pôs mê pai,
Minha mãe cria Jacinto,
Mê avô nã disse um ai.

Espera por mim Mariana,
No Domingo lá no balho,
Levo o fato dominguêro,
E tu saia de bom talho.

Dança cômigo Mariana,
Com as saias a rodari,
Quanto mais a gente balha,
Mais os ôtros vã olhári.

Mais as velhas vã falari,
Mais os velhos vã dezeri,
Mariana mais Jaquim,
Qualquer dia dizem sim,
Que belo par vã fazêri.

E quando êsse dia viéri,
À tu espera estarê,
Ver-te entrar tã singela,
Naquela Igreja tã bela,
E a seguir o Padre lêri
Do livro que tem de sêri.

E a seguir o Padre lêri,
As palavras quê nã sê,
Nã sê lêri nem escrevêri,
Nunca na escola andi,
Sou bom home, nã sô ruim,
Hás-de lá ouvir mê sim.

E ó ôvires esse dzêri,
A tu cara vai-se abriri,
Vai parecer a Primavera,
Essa estação tã bela,
Com as floris a luziri.

E saindo da engreja,
Já os dois de par a pari,
Mariana más Jaquim,
Naquele dia do sim,
Acabaram por casári.

2006/05/18

Vai mais uma futebolada

Finalmente estreou! Aí está o Código da Vinci (ou dá Trintci!) em filme. Já era de esperar que ía haver polémica. É pena o nosso querido ministro dos negócios estrangeiros andar embaixo; é que o homem, com a peculiar perspicácia que o caracteriza e antevendo a bronca que a coisa ía dar, já estava a querer organizar um jogo de futebol entre cristãos e ateus para acalmar os ânimos.

2006/05/07

Contra o encerramento das maternidades!!!


Ora atão mês amigos cá tô eu ótra veiz na aldêa. Este vosso amigo Manel Montanelas têve uma grande alegria por voltar a vêri os sês dois amigos do pêto, o compádri Zé da Pua e o Senhor Pádre Eduardo Comêlas. Preguntaram-me sê tinha gostado da cedádi? Nã, nã gosti. É munta confusão, parecem as saias da Ti Carmelinda em dia de ventania.
Aqui na nossa piquena aldêa é que se tá beim! É sempre a mêma merda, e é assim desta manêra ca gente gosta de passar a vida. O mê compádri Zé da Pua já levou 3 orelhadas sem mão que o Sr. Padre lhe deu. A prumêra foi por ter posto aquela menina tã singela na parede do nosso palhêro, a segunda foi por ter gozado com uma coisa tã séria como éi a arca do Noéi e a tercêra foi por ter posto outra menina virgem e singela e ainda por cima ter falado de bunda. Tive de preguntári o qu’isso era. Arrespôndê-me o Antoino do Cajado Torto (moiral do Sr. Visconde Ficalho, que ráio de nome, rima mesmo com...trabalho) que éi a manêra dos Brasilêros dezerem nalgas. O homem tem aprendido munta coisa com as novelas ca mulhér dele vêi.
O Padre tá de parabeins, houve dois rapazes qu’abalaram prás Suisses e ele já teim máis dois afilhados. Abençoado, se nã fosse este home a aldêa nã aumentava. Deus lhe dê munta saúde e que fique p’ra longe dos quintais dos mês compadres.
Estes dias temos falado munto do que se passa no País, o padre fala e entende munto, ê cá pôco entendo, só percebo mêmo beim quando o Zé da Pua m’ensina, mas ele agora tá castigado por 3 semanas de ir p’ró adro à nôte. O padre dê-lhe de castigo uma semana por cada orelhada sem mão. O home anda mêmo em báxo. Ê já lhe disse p’ra dêxar passar o tempo, mas o tempo aqui no nosso Alentejo é munto tempo. Qualquer coisita de tempo leva logo um tempo desgraçado p’ra se passari. E atão na altura da ácêfa cada dia parece um ano. Só de falar em acêfa me revolve o entrior todo. O cabrão do Visconde paga mal que nem uma besta. O mê compádre Zéi quis fazer uma arrevolução, mas nã fizémos porque éramos só 3. Eu máis ele e máis o Tonico Arrepelado. O maldito Visconde acabou por sabêri e agora andamos os trêis a pedir emprestado ao sr. Padre Eduardo Comêlas. Temos andado a convencer a malta a ir à missa e dar qualquer coisa p’ró Santinho. Até os doentes a gente vai buscar de maca. O compadre Zéi da Pua metê-lhe umas rodas e agente empurrós cá de cima e eles entram na Engreja a uma velocidade que nem a máis empedernida beata conseguia alcançári ó ôvir o sino chamando p’rá missa.
Tamêim tem dado munta conversa o regresso do filho más vélho do Ti Zacarias Semprempé. O moço vêio lá dos Timores e picô-lha mosca do sono. Agora dorme mais có resto da malta da aldêa o que tráz munta gente descontente. Nã há drêto! Um moçote dormir mais do ca malta em 60 ou 70 azenhêras! A azenhêra é o melhor amigo do alentjano. Alimenta os porcos e as nossas sestas. Agora dizem que as pobres árveres têm um máli. Ê sei o que éi, é o raio do Visconde que mandou pôr arame farpado em quase todó lado. A sorte é ca gente quando se trata da sesta nã há nada que nos tráve. E como os guardas são todos alentjanos nã fazem nada, chegam e espojam-se tamêim à sombra. Esta vida é um regalo.
Bom, agora fico por aqui que já me tá dando uma lãzêra desgraçada. Vou dormir uma horitas até ó jantári.
Fiquem beim sã os desejos deste vosso compádri: Manel Montanelas.




2006/05/04

A bunda em abundância

Estavas tão tétrica
tão meditabunda,
que eu medi-te a bunda
com a fita métrica

2006/04/21

Cabrão do picapau, hem?

2006/04/20

O fotógrafo estava lá

Caro amigo Montanelas, como não tenho guito suficiente no telemóvel pra lhe falar esta vai mesmo por essémiesse.
Cá me eis regressado ao remanso do palheiro. Se a minha ausência foi bastante notada, coisa de que não duvido, isso deveu-se a ter andado por outras bandas, outras zonas do mundo, conhecendo outras gentes e outra palha.
Pois fiquei a saber durante uma xadrezada com o Padre Eduardo Comêlas que o Fócrates (esta vida é uma soda) decidiu vir por aí abaixo com uma embrulhada do caraças pra pôr ordem no desvario que vai na junta de freguesia. Claro está que o fardo era tão pesado que o Fócrates (esta vida é uma soda) viu o chão fugir-lhe debaixo dos cascos e ficou patinando sem saber como voltar a pisar a calçada. Vai daí aligeirou a carga, mas mesmo assim ainda ficou esperneando, lá o ajudaram a tirar mais uns pacotes da embrulhada. Espero que o Fócrates (esta vida é uma soda) ponha mas é as patas de novo em terra. É que o Fócrates (esta vida é uma soda) esquece-se que muitos dos boys que estão nos jobs da junta foram lá postos pela sua família.
Um abraço e cuide-se que anda por aí a gripe dos gansos.